Pular para o conteúdo principal

Aquela coisa da Gratidão...

"Gratidão é se desacostumar das coisas" - Primo da Jout Jout

Já dizia o primo de uma pensadora contemporânea: "Gratidão é se desacostumar das coisas" (vídeozinho aqui). E se a gente parar pra pensar, é bem verdade. 

Veja bem: Neste exato momento eu estou sentada no sofá, minha casa está silenciosa, limpa e arejada, eu acabei de colocar a segunda forma de broa de fubá no forno e já comi um ou dois (talvez três) pedaços da primeira fornada. Tudo está calmo e tranquilo, minha vida é ótima, minha família é MINHA, eu tenho um noivo maravilhoso e amigos queridos, enfim, eu tenho MUITOS motivos pra agradecer. Mas quase sempre o que vem à minha mente é umas coisas que eu deveria estar fazendo, ou como minha vida se tornou meio monótona desde que eu fiquei desempregada (não que ela fosse badalada antes, mas sempre há a necessidade de reclamar da vida) ou como o fato de eu ter assumido algumas tarefas domésticas pelo fato de estar em casa me incomoda às vezes.

A gente vive falando de clichês como "copo meio cheio/ meio vazio", quando na verdade isso entra por um ouvido e sai pelo outro, por que a gente adora reclamar da vida e como ela tem sido ruim com a gente credo parece que grudei chiclete na cruz nossa mãe eu ein. 

O problema todo é que a gente idealiza um patamar de vida (ou pior, observa um patamar de vida) que está MUITO LONGE de onde estamos agora. E ao invés de seguirmos nosso próprio caminho e chegarmos no nosso PRÓPRIO LUGAR, a gente perde o tempo todo reclamando de como a vida de fulano é boa e a minha é isso aqui, fazer o quê, né?

Hoje a Ana Maria Braga (tá vendo, sou do lar mesmo agora HAHAHA) citou uma frase interessante que cabe aqui: "Você veio ao mundo pra ser você, então não perca o foco".

"Você veio ao mundo pra ser você, então não perca o foco".

"Você veio ao mundo pra ser você, então não perca o foco".

"Você veio ao mundo pra ser você, então não perca o foco".

Eu sei que é difícil, eu falo de um lugar onde também existe uma luta constante pra aproveitar o trajeto sem ficar pensando na chegada, mas o desafio do BEDA de hoje é citar pelo menos 10 coisas pelas quais você é grato. Pode escrever um texto no seu blog, ou um post no seu facebook, ou só pensar mesmo (depois me marca pra eu ler, caso seja exposto), mas tente fazer isso hoje. Sem comparar sua vida com a de alguém que está melhor ou pior que você, não é isso; é só pensar em coisas boas e dizer obrigada por elas.

Eis a minha lista:

#1 Gratidão pelo cheiro de broa de fubá que inunda minha casa neste momento (talvez tenha queimado o fundo, minha forma é pequena);

#2 Gratidão pelos planos lindos para 2017/2018;

#3 Gratidão por entender (cada dia um pouco mais) que não precisamos trabalhar o tempo todo. Às vezes 2 horas com foco valem mais que 6 na enrolação;

#4 Gratidão pelas paixões que podem gerar lucro, hehe;

#5 Gratidão pela Taylor Swift e sua playlist maravilhosa;

#6 Gratidão pela vida, que é BEM BOA, haja o que houver;

#7 Gratidão pelo amor sem interesse;

#8 Gratidão pelos amigos que não deixam de ser mesmo depois de um vácuo (ou vários) no whats;

#9 Gratidão pelo BEDA que foi/está sendo revelador nessa vida blogueirística;

#10 Gratidão pela oportunidade de Agradecer.


Postagens mais visitadas deste blog

Não é Solidão, é Solitude.

"Entende-se por solitude o pleno contado consigo mesmo. Isso quer dizer que não há a necessidade de estar sempre em companhia de outras pessoas e não há solidão por isso. Esta pessoa está bem com ela em tempo integral, mas convive muito bem com os outros. Veja que há um contato direto consigo mesmo, podendo passar vários dias em um lugar sozinho e se sentindo pleno; mas há também uma plenitude ao estar com alguém."  (via: Maura De Albanesi)
Veja bem, eu gosto de estar na companhia das pessoas que eu amo. Mesmo. Me sinto completa com barulho de família ao meu redor. Quando rola, adoro passar tempo de qualidade com os amigos e/ou com o namorado. Mas eu também sinto um prazer indescritível no silêncio. 
Tipo agora. Estou em casa, são 10:08AM, minhas irmãs ainda estão dormindo e a casa está silenciosa, por hora. Eu posso fechar os olhos e respirar fundo. Sinto uma paz imensa. Me faz bem. Eu curto a minha própria companhia e já recusei saídas por ela (eu/mim). 
Eu costumo brincar…

TOP 4 Girls Crush da FICÇÃO

E aí Internet!
Dispensando toda a enrolação inicial de blogueira não assídua, hoje vamos falar sobre xoxotas poderosas na ficção! Já rolou um post aqui no ano passado sobre 3 GIRLS maravilhosas da ficção e da vida real e eu não vou repeti-las pra você ir lá depois e fortalecer a amizade, hehe.
Sem mais delongas, XXT PWR!

#1. CRISTINA YANG
Hello Grey's Anatomy! De todas as (poucas) séries que assisti e personagens que conheci, Cristina foi a que mais marcou, sem dúvida. Apesar de não ser a personagem principal da série, ela roubou a cena por muitas temporadas e foi ótimo. Mais apaixonada pela profissão do que qualquer outra coisa ou alguém, ela não tinha medo de dizer que era a melhor e, o mais incrível: Ela realmente acreditava nisso. E era.  Em poucas palavras: ACREDITE NO SEU PODER E OS OUTROS TAMBÉM IRÃO.

#2. KATNISS EVERDEEN
Jogos Vorazes é minha trilogia preferida por motivos de: Katniss. Devorei os três livros na época do ensino médio e era intensa a identificação com essa ga…

A síndrome do "início sem fim" e atualizações - Querido Diário Otário #2

Dispensando a lorota inicial de blogueira irresponsável que não posta nada a mais de um mês, vim aqui (finalmente) falar sobre um problema que eu tenho que está intimamente ligado ao fato de eu não postar nada aqui a mais de um mês, risos. 
Meu apelido carinhoso para esse probleminha é a síndrome do "início sem fim". Veja bem, eu adoro ter ideias novas, começar coisas, pensar em como fazer algo, traçar os caminhos, definir os objetivos, me empolgo com a ideia de dar certo e tudo mais. Mas aí, por algum motivo que eu ainda não descobri qual é, eu paro. Isso já aconteceu com vocês? Por que acontece comigo sempre. Com o blog, com a vida, com tudo, sabe? E eu acho que eu ficaria menos mal se isso tivesse um motivo; mas o fato de não ter me deixa bem chateada por que eu simplesmente não sei por que eu não estou fazendo as coisas que eu queria estar fazendo!
- AFF Ramina, é só ir lá e fazer!
É o que eu sempre digo para os outros. E é bem verdade que quando se trata de mim mesma o …